Google Translate

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Família - Amizade com o mundo

Amizade com o mundo

Amizade com o mundo
Elisabeth Lorena Alves
Muitas pessoas acreditam que proibir seus filhos de terem amizades fora do núcleo cristão vai evitar que eles percam a fé. Quando falam que determinada pessoa é uma companhia não aceitável, esta pensando exatamente nisto. Ora, se como pais estamos preparando nossos filhos para enfrentarem o caminho para o Céu e estamos ensinando-os dentro da Palavra, não precisamos nos preocupar com isto. Devemso permitir sim que nossos filhos conversem com pessoas de fé diferente, que eles conversem com os colegas da escola e do trabalho. O que devemos evitar é que eles aceitem os costumes éticos e morais dos outros como certos. Devemos incutir em nossos filhos o respeito pelas demais pessoas, o que não significa aceitar que os costumes dos outros sejam de fato corretos. Viver com as diferenças é uma atitude cristã. Jesus se relacionava com todo o tipo de pessoa, o que Ele não permitia era que as atitudes e crenças de outras pessoas corrompessem a sua Fé e manchasse o seu Ministério.
A Bíblia nos adverte que devemos evitar é a sedução do pecado, que pode sim estar entre as nossas amizades, mas muitas vezes está dentro de nosso núcleo de fé. Jesus sabia o que era isto. Como Filho de Deus, conhecia a Palavra e entendia que as pessoas que se diziam religiosas e de fato eram, estavam corrompidas e corrompendo as pessoas que não conheciam os Estatutos de Deus. Contra estes ele lutava. Contra os que viviam fora da fé Ele nada tinha a dizer, a não ser apresentar as Boas Novas através de seu próprio testemunho.
Que possamos como pais ensinar nossos filhos a viverem de forma lícita e agradável a Deus, evitando aqueles que querem nos enredar pelo caminho da maldade. É contra estes que há a seguinte advertência na Palavra: "Filho meu, se os pecadores querem seduzir-te, não o consintas. Se disserem: Vem conosco, embosquemo-nos para derramar sangue, espreitemos, ainda que sem motivo, os inocentes; traguemo-los vivos, como o abismo, e inteiros, como os que descem à cova; acharemos toda sorte de bens preciosos, encheremos de despojos a nossa casa; lança a tua sorte entre nós; teremos uma só bolsa. Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; guarda das suas veredas os pés; porque os seus pés correm para o mal e se apressam a derramar sangue" (Provérbios 1:10-16). Quando lemos este versículo percebemos que ele esta falando sobre um tipo específico de amizade, as que influenciam para a iniquidade, esta falando de pessoas que a própria Lei Humana condena, aqueles que agem contra qualquer ética e são imorais. Não esta falando do amigo da escola que divide a responsabilidade de um trabalho estudantil com nossos filhos. A estes cabem nossos filhos darem testemunho de vida transformada.
Quando ensinamos nossos filhos, devemos ensiná-los de forma clara, sem usar de voltas e subterfúgios. A boa educação é dada quando além do exemplo, damos também objetivos claros para que nossos filhos ou liderados possam entender quais escolhas fazer. Uma vez que a Palavra nos ensina o seguinte: Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores" (Salmo 1:1), esta nos ensinando que devemos evitar a companhia dos que agem de forma errada e não que vivamos longe de todos os seres humanos. Já estudamos aqui sobre Iniquidade e sabemos que mesmo entre nós, cristãos, existem ímpios e iníquos e só conseguimos evitá-los conhecendo a Palavra de Deus e não acompanhando-os em seu caminho, não aceitando para nós, suas atitudes como se fosse certas.
Quando ensinamos aos nossos filhos ou liderados que a insensatez é uma péssima influência, devemos deixar claro que isto significa que o insensato não para e analisa suas atitudes antes de praticar os atos que lhe dá prazer. Por isto é insensato, por nào pensar em consequências para suas atitudes. Uma vez que ensinamos que o insensato zomba do que é certo, seja moralmente ou e relação a nossa fé, veremos que nossos filhos saberão fazer a escolha certa e fugir daqueles que agem de forma errada, evitando assim agirem de forma equivocada. Ensine sempre a verdade. Apresente as opções, esclareça o que importa e deixe claro que contra a insensatez não há concordância, pois uma vez que apessoa evita agir de forma certa, pensando apenas em satisfazer seus próprios desejos, não se importando com o sentimento e com a fé das outras pessoas, não serve nem de companhia nem como exemplo: "Foge da presença do homem insensato, porque nele não divisarás lábios de conhecimento. A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos insensatos é enganadora. Os loucos zombam do pecado, mas entre os retos há boa vontade" (Provérbios 14:7-9). O insensato acha prazer em sua astúcia e acredita que esta é a verdadeira sabedoria.
Que possamos ensinar nossos filhos a viverem de forma coerente, dando a eles base para formar um pensamento crítico. Dar base para a formação de um pensamento crítico é na verdade o verdadeiro papel dos pais enquanto educadores.
Postar um comentário