Google Translate

terça-feira, 31 de julho de 2012

Casamento - Cuidados Especiais



Casamento – Cuidados Especiais
Elisabeth Lorena Alves


Muitos casamentos são destruídos por palavras erradas. O casal deixa de pensar como um e passa a defender pontos de vista diferentes, assim, acabam criando problemas totalmente insuperáveis. A maioria dos problemas são causados por pequenas palavras que minam a paz e a confiança do outro e, no geral, elas aparecem como acusações ou afirmações geradoras de conflito, afinal, alguém sempre vai dizer, 'eu avisei' – quando uma situação sai do controle por não terem encontrado um equilíbrio entre o que um acreditava e o que o outro queria. Ou ainda, o outro vai dizer 'você sempre diz' – quando o outro esta nervoso. Mais esta ainda 'todas as vezes' – quando um acha conveniente trazer para a discussão atual problemas do passado. Bem, algumas palavras, quando usadas em momentos errados, são como uma navalha afiada, corto fino e fundo, mas a ferida fica feia onde nossos olhos não alcançam. Apesar de certas palavras matarem, quando ditas no momento oportuno, geram vida (Provérbios 12-18).
Outro erro comum aos casais é o hábito que tem em apontar os defeitos um do outro, Na maioria das vezes estes defeitos estavam lá na época do namoro, do noivado, mas depois dos primeiros dias do casamento, com a convivência passam a atrapalhar, pois acabam irritando tornarem-se frequentes. E como podemos dizer amar alguém se constantemente nos irritamos com esta pessoa? Não ser irritadiço é uma das qualidades do amor: (I Coríntios 13-5).
Muitas brigas também atormentam um relacionamento quando um dos dois quer defender ideias pessoais, assim, por estarem cada um indo para lados diferentes, os problemas acumulam-se. Fica difícil manter um casamento quando há interesses confiantes. Assim, o melhor mesmo é sentar e conversar e, claro, aceitar que em todo relacionamento humano existe a necessidade de abrir mão de algo. Um casamento deve ser sempre algo que envolve o interesse de ambos, só assim é uma aliança. A aliança, que geralmente os casais trocam no dia da cerimônias das núpcias, é um símbolo de união, de completude e esta palavra vem do Latim alligare, de ad-, junto, mais ligare, que significa 'unir, atar'. Uma aliança sempre vai ser um anel fechado, representando sempre que é um compromisso inquebrável. O deixar de buscar seu interesse pessoal esta registrado ainda em (I Coríntios 13-5), vale ler e absorver o que nos ensina este capítulo sobre o amor.
Outro erro bem comum no casamento chama-se: Razão.
Em uma discussão ambos sempre tem razão, isto no ponto de vista deles, mas não há nada pior que isto, Em caso de briga, você tem duas grandes saídas: entregar os pontos ou brigar de fato, você pode dizer, mas estará errado. As duas melhores coisas a fazer quando o clima esquenta e vocês se alteram é: assumir que não tem razão, quando for verdade, ou calar-se, quando estiver certo. Com certeza estas duas atitudes serão sempre difícil de ser tomadas, mas são salutares quando estamos tentando viver em paz dentro de nosso lar. Reconhecer o erro é saudável e produtivo, além de trazer paz ao coração, traz a a harmonia de volta ao lar. : O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia (Provérbios 28:13)
Importante também para o bem do casamento ;e nos lembrarmos sempre que é uma instituição divina e que devemos seguir seu padrão original. Não devemos permitir que acontecimentos fora dele destrua-o ou minem os sentimentos que o alimentam. Muitos casais permitem que terceiros interfiram no relacionamento, com palavras erradas, com dicas estranhas aos hábitos naturais do casal, com calúnias contra um dos cônjuges e muitas outras atitudes nocivas, cuja a única intenção é destruir a vida do casal. É comum as pessoas terem desconfiança das sogras, mas na maioria das vezes elas não são o maior perigo que um casamento enfrenta. Muitos não confiam nos sogros e pais, mas entregam seus segredos aos ouvidos de amigos invejosos e são contaminados com 'conselhos piedosos' que no fundo objetivam a desunião. O casamento é para duas pessoas apenas e é tão sério isto, que o Senhor nos orienta a tornarmos um: Assim não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem (Mat.19: 6).
Muitos divórcios originaram-se deste problema: excesso de confiança em pessoas fora dele e como era de se imaginar, afundou-se nas águas da amizade desleal. Tem pessoas que não consegue sentir-se feliz com a felicidade dos outros e em seus corações ímpios impetram pensamentos destrutivos. O salmista, no Salmo primeiro nos adverte sobre isto: Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores (v 1), mas também nos ensina algo melhor a fazer: antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite (v 2). Ora, se não seguimos conselhos estranhos, obviamente estaremos bem, mas seguros ficaremos se mantermos nossos olhos postos na Palavra, pois ela em todo o tempo gera vida. Mantenha seu casamento longe dos olhos malignos, deixe que seu exemplo seja testemunho e não suas palavras. Sim, evite falar sobre seu relacionamento com as outras pessoas, afinal você tem muitos outros interesses, deixe teu tesouro bem guardado.


Postar um comentário