Google Translate

terça-feira, 15 de maio de 2012

Pais sábios geram filhos saudáveis

Pais sábios, filhos saudáveis!

Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais; porque isto é agradável ao Senhor.
Colossenses 3:20
O que determina se uma criança será um ser saudável, é a sabedoria de seus pais durante o tempo que passam como mestres, o que garante os bons resultados de uma boa educação familiar, sem dúvida, é o amor e o respeito envolvidos neste processo.
Muitas vezes esquecemos de nossa família, da importância que nossos filhos tem para nós e para a Sociedade. Esquecemos que a forma como educamos nossos filhos e os preparamos para a vida e para o futuro, refletirá no ambiente em que ele viverá quando abandonar nossas asas para alçarem seus próprios voos. E este é o pior erro que os pais podem cometer.
Para início de conversa, muitos pais, às vezes confundem autoridade com autoritarismo e simplesmente desconhecem os caminhos para impor limites saudáveis, que farão com que estes, ao sentirem-se livres, possam escolher entre o que é benéfico e o que se apresenta como armadilha, escondendo os mais diversos perigos.
Vale lembrar que os pais são os formadores da personalidade de seu filho e esta formação se dá exatamente na apresentação e cobrança de limites. E esta formação acontece pelo sábio exercício da autoridade. Vale lembrar também que autoridade não é algo imposto, é alfo sentido no convívio e esta ligado intimamente de indissoluvelmente ao respeito.
Educar é um ato de amor e não uma forma de amordaçar a criança, impedindo que ela aprenda escolher entre o bem e o que não é moralmente adequando. Educar é ensinar com respeito e amor o que a criança deve escolher, mas apresentando-lhe os bons motivos para uma escolha saudável.
Conhecer-se a si mesmo, por certo é o melhor meio de aprender a agir com autoridade e evitar os extremismos tão prejudiciais ao andamento do processo educacional. Devemos antes de tudo sermos coerente e termos controle sobre nossas próprias emoções, pois é natural que acriança em determinado tempo, procurando aumentar seus próprios limites acabe criando situações de estresse e isto pode desestabilizar um pai despreparado.
Na verdade, a maioria dos problemas sociais que observamos hoje, estão relacionados a forma errada que alguns pais despreparados, criaram seus filhos. Uns crescem temerosos, sem noção de respeito, sem espírito crítico e totalmente despreparados para a vida adulta e social, oprimidos por ideias limitadas. Outros, criados por pais autoritários, crescem prontos para oprimir o próximo numa espécie de vingança. Ambos filhos desajustados, uns covardes e outros violentos.
Muitos pais esquecem-se que mais que palavras são as atitudes que formarão o caráter dos filhos e, esquecidos disto, ensinam o certo, mas agem de forma errada e assim seus filhos crescem praticando o que viu e não o que ouviu. Nestes casos é comum ouvirmos destes pais a famosa frase: “Não foi isto que eu ensinei a ele, em casa ele só ouvia o que era bom e saudável”.Este pai esquece que falar bonito até falou, mas não agiu bonito, não incutiu na criança, no processo de formação exemplos saudáveis.
Claro que educar envolve sim o diálogo, mas vai além disto, envolve também o abraço carinhoso quando o filho fracassa, o cuidado quando machuca-se, a defesa quando ele é injustiçado, o respeito aos seus sentimentos, seja de que natureza for, o esclarecimento das dúvidas, a coerência entre o diálogo e o exemplo, a clareza em todos os sentidos, o lazer bem dosado, uma boa educação religiosa, a apresentação sadia das normas básicas e práticas da Sociedade, a constância enquanto investe no projeto educacional escolhido enquanto família. Talvez seja importante salientar que além de defender uma criança quando ela é injustiçada, incentivar que ela se arrependa e receba para si a cobrança de justiça devida a quem ela lesou seja o primordial.
Sim, educar um filho de forma saudável envolve tempo e paciência. Afinal esta relacionado a executar uma série de atitudes que demandam tempo e vivemos numa época em que a Filosofia maior sobre este, seja que ele vale dinheiro. Um erro crasso. Tempo não vale dinheiro, tempo vale tempo e, quando você sabe usá-lo bem durante a criação de seu filho, vai economizá-lo no futuro, apenas deliciando-se com os benefícios que encontrará por ter acertado em sua tarefa e não tendo que se desculpar com a Sociedade, ou pior, tendo que visitá-lo na cadeia ou no cemitério.
Pense nisto!

Postar um comentário