Google Translate

quinta-feira, 14 de junho de 2012

O casamento de seus sonhos - Parte IV

Namore mais

Quando namoramos – seja casados já ou quando estamos iniciando uma relação amorosa – é a oportunidade que temos para cortejarmos um ao outro, conhecermos mais e claro mostrarmos o nosso interesse e desejo de agradar.

Na verdade se nós cristãos seguíssemos as normas mais antigas que diz que a gente casa para namorar e não namora para casar, nossos casamentos seriam os melhores do mundo.
Apesar de as pessoas acreditarem ser esta a direção dos casais cristãos, casar para namorar era uma regra antiga de nossa Sociedade que foi abolida com a liberação feminina e como apoio irrestrito da mídia mundial.
O namoro de hoje é em sua maioria das vezes uma relação marital aberta – que muitos chama de ficar – onde os casais agem normalmente como se fossem marido e mulher. Não há a chamada corte, os galanteios deixaram de existir, as namoradas não são mais as princesas, aceitam ser chamadas de “cachorras” e ainda denominam estes companheiros de “namoridos, reconhecendo elas mesmas que vivem uma relação aberta do que seria reservado aos casais autênticos depois de passarem pelo Juiz de Paz.
Antes os namorados ofereciam as noivas uma aliança para firmar o compromisso que já recebia o nome de Noivado, hoje entregam na mesma caixinha de veludo aonde vinha o anel, a cópia da chave de casa e passam a viver juntos uma situação “experimental” de casamento, com todas as condições de um matrimônio real, mas sem a oficialização legal.
Cortam etapas.
Cortar etapas em qualquer sentido, é prejudicial, seja nas relações humanas ou de trabalho e até no que se refere a idade, a formação doentia de mini adultos, também comum hoje em nossa Sociedade.
O namoro é a forma de se tornar madura uma relação afetiva e por isto mesmo deve seguir alguns passos que o fortalecerão.
Namoro bom é a três, você, seu parceiro e Deus. Os casais precisam entender isto, deus estabeleceu o Casamento para felicidade do homem – e não apenas para a procriação – quando Deus fez Eva e a presenteou a Adão, foi por notar a tristeza deste. Com o passar do tempo, observando a Natureza, onde todos tinham companhia e por isto viviam alegres, Adão entristeceu-se e assim, Deus criou a mulher para ser sua adjutora. Bem não tenho aqui um Dicionário de latim, mas já ouvi dizer que esta palavra tem radical nesta língua morta e escreve-se “adjutare” significando auxiliadora, ajudadora.
Muitos casais esquecem o verdadeiro significado disto. Ajudar não é fazer tudo, mas é exercitar algo para concretizar o apoio a determinada atividade que esta designada a alguém. No entanto nossa palestra esta semana nada tem a ver com Missões e submissões. Estamos falando de investimento afetivo e hoje, mas especificamente sobre Namoro.
Voltemos a insistir: Permita apenas que Deus entre em vossa relação. Não envolva em seu casamentos o pai, a mãe, a tia, o vizinho, o gato e o cachorro.
Diferente da época de solteiro quando não se pode e nem se deve namorar apenas por lazer, depois do casamento este namoro é totalmente aceitável. Os casais que já oficializaram o matrimônio pode e devem namorar como passatempo. Este tipo de atitude fortalece os laços e ajusta as arestas no que ainda falta para tornar esta relação mais agradável e madura. Saiam junto, pegue na mão, façam carinhos, conversem ao ouvido, troquem confidencias, conectem-se sempre através de contatos específicos, só assim aprimorarão seu relacionamento.
Namoro de casados devem sim passar dos limites impostos aos solteiros. Os esposos devem saber como alimentar a libido de seus cônjuges e é através do conhecimento mútuo adquirido deste aprimoramento de sua relação.
Sejam fiéis um ao outro, é isto que garante um leito puro. Afinal, a infidelidade é um ato leviano que desagrada profundamente a Deus, pois criou apenas um casal. Se ele aceitasse esta pantomina toda que tem virado os casamentos dito aberto, teria criado Adão, Eva, Ivana e Ivete. Fujam da leviandade. Deus os fez homem e mulher para que ambos completassem-se, além do mais, devemos sempre lembrar que o casamento é permanente. E para que este permaneça é ideal que cada um cumpra seu dever como esposos, mas de forma prazerosa, não como algo obrigado.
No geral, pratiquem o romantismo, sejam gentis entre si, é através deste que vocês adquirirão o estado de cumplicidade ideal para a manutenção do relacionamento. Sejam sempre cordiais e amoroso um com o outro, cultivando hábitos saudáveis e criando momentos felizes que solidificarão as bases da vida a dois.
Deliciem-se com o diálogo, mantenham as portas da comunicação aberta sempre. De preferência arranque as folhas desta do batente, para que nada interrompa suas conversações. Sejam francos entre si sempre e jamais criem barreiras entre si, guardando segredos que pertençam a vocês dois. Sejam sempre diretos um com o outro.
Respeitem-se sempre, apoiem-se em todo o tempo. Afinal o desrespeito destrói os alicerces do amor e mina as estruturas da Segurança e Confiabilidade. O respeito é algo inegavelmente necessário para a valorização de ambos e o bem estar da família.
Jamais esqueçam que possuem um relacionamento e que devem manter em todo o tempo a honra aos laços matrimoniais. Lembrem-se se respeitar um ao outro, honrando-se mutuamente e procurando viver de forma adequada, para que a vida a dois tenha o menor número de percalços.
Agradem sempre um ao outro, honrando-se sempre e lembrando-se que o casamento é algo que recebemos de Deus ainda no Jardim do Éden como uma benção para que fossemos felizes.
Isto é algo mais para pensar e não esqueça: Namorem!
Postar um comentário