Google Translate

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Casamento - mitos e verdades sobre a construção de um lar. (Editado)

O casamento tem que ser construído sobre  rocha firme.
Aqueles que são construídos sobre a areia da praia é levado pelo tempo, cedo ou tarde.

"Todo aquele, pois, que ouve estas palavras e as pratica, será comparado a um homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína." Mateus 7:24-27




O casamento não é uma prisão.
Vou contar uma história real, mas obviamente não vou citar os verdadeiros nomes, pois se deu muito perto de mim.E até por isso escolhi esta experiência para ilustrar minha postagem.

Pulando fases

Depois de um namoro agitadíssimo com um belo deus africano. Jase, uma amiga da adolescência passou a gostar de um rapaz da vila.
Desta vez ela optou por um deus grego.Sem nenhum grama de gordura sobrando, da mesma idade que ela.
Para ser sincera, na tentativa de ficar com Túlio, Jase começou por fazer inimizade com a mãe do rapaz e por anos esta confusão continuou.

Resumindo, depois de uma gravidez inesperada, eles acabaram decidindo morar juntos. Es esta situação se perpetuou por longos 12 anos.
Jase tornou-se uma mulher extremamente preocupada com o lar, esposo e filhos. Uma esposa exemplar.
Um dos problemas que causava estresse entre Jase e sua sogra era o fato de terem religião diferente. E  apesar dessa diferença, Jase era uma esposa exemplar e muito guerreira . Sempre lutava pelas seus idéias. Nunca abria mão de nada por ninguém.Exceto por sua família. Durante anos ela tentou levar Tulio para o altar. Na verdade para o cartório.
Até completar estes 12 anos de casamento. Um dia ele aceitou casar.

Deixando o mal entrar no meio
da relação, o casal acaba
separado.

Casaram-se, foi uma festa magnífica. Os filhos  estavam presentes, alguns amigos também. Foi um espetáculo no bairro.
Vinte dias depois de casados, ela apareceu na casa de minha irmã, comunicando-nos que estava com problemas sérios na relação e que não acreditava que o casamento, que agora era de fato um casamento, não duraria mais.
Eles se descobriram incompatível.
Imagine! Doze anos de relação estável, fora os 4 anos que andaram de namoricos! Simplesmente declararam a tal incompatibilidade. E lá se  vão 5 anos de divórcio, que para piorar, eles estão deixando rolar, junto com as brigas que aparecem agora e toda aquela falta de respeito peculiar de alguns destes finais de casamento.
Filhos? A os filhos estão de um lado para o outro.

Porque contei esta história triste?
Simplesmente porque foi justamente o fato de eles terem pulado uma fase da relação que transformou todo o resto no que é hoje.
Muitos casais acreditam que se morarem juntos antes de oficializarem a relação, irão se adaptar melhor.No entanto isto não é de fato verdade. As pessoas conseguem disfarçar seus defeitos por anos.
Conseguem passar por muitas crises simplesmente empurrando com a barriga e acreditando que estão felizes.
Ai quando oficializam a relação, se dão conta que estão junto de um desconhecido. Isto é a falta de aproveitar  a relação em todas as suas etapas.
Se este casamento tivesse acontecido em termos claros, por certo daria certo.
Só que as pessoas casam presas à um sentimento inexistente. Investem na paixão acreditando que estão investindo em amor. A paixão é fogo, cedo ou  tarde ela arrefece e ai se não houve construção de algo para substituir a paixão quando ela acabasse.

Investindo tempo e cuidado na relação


Tudo na vida é como uma plantação, uma árvore, você não pode colher maçã de uma semente, antes você vai ter que semeá-la.
Vai ter que abrir um buraco na terra, deita-la lá com o devido  cuidado, molha-la na medida, excesso vai apodrece-la, se esquecer de regar vai secar.
Depois vai demorar certo tempo para germinar, para crescer. Vai demorar para ser um árvore pronta para produzir.

O MITO DO AMOR QUE RESOLVE TUDO

Casamento, uma aliança que
não deve ser quebrada.
O casamento deve ser visto como um dialogo, onde duas pessoas que jogam no mesmo time e o fazem para ganhar, pois só assim é possível resolver os problemas que surgem no dia a dia.
Muita gente acredita em mentiras do tipo : “Apenas o amor é suficiente para manter nosso casamento”? Ora, isto não passa de  mito. A realidade é que para que um casamento sobreviva aos problemas diversos é necessário mais que amor. Deve haver a prática da persistência, paciência, e compromisso mútuo, fatores capazes de tornar possível a resolução madura e objetiva dos problemas que surgirem.
E eles vão surgir, onde há ser humano, há problemas, de todo tipo, desde os mais singelos de convivência, como grandes e que se não foram administrados levarão à uma destruição não só da relação em si, mas da própria segurança da pessoa.

Mudanças
Ora, a aproximação traz intimidade, mas traz também a necessidade de mudanças e adaptações. E claro que a mudança é algo difícil.
A mudança de alguém que convive com você em um ambiente diferente de seu convívio pessoal, é totalmente tolerável, mas quando afeta seu dia adia em seu refúgio, em seu lar, a sua relação pessoal  com seu companheiro. Isto porque te afeta de forma direta. O casamento em si, trás consigo uma enormidade de  mudanças. São regras diferentes.

Pior é que não há a possibilidade de  minimizar o problema por viver com uma pessoa antes do casamento. Na realidade, estudos têm demonstrado que viver em condição marital antes do matrimônio tem sido o indicador de uma quantidade ainda maior de divórcios.

Fé e ansiedade

O casamento deve ser fundamento na Fé. Mas antes, devemos controlar a ansiedade. A ansiedade  faz com que se adoeça, a alma é machucada e a pessoa acaba sofrendo por querer que as coisas aconteçam antes da hora.  Às vezes os casais criam  monstros na relação simplesmente por imaginar problemas, muitos que nem existem. São ciúmes, falta de perspectiva, falta de amor próprio. Jesus ensinou que devemos amar o próximo como a si mesmo. Então para amar alguém, eu preciso também me amar.

O casamento consiste não apenas de duas, mas de três pessoas - você, seu cônjuge e Deus.
Se um lar é construído sobre terra firme da Fé, as intempéries virão e o relacionamento sobreviverá pois será sólido. Isto porque o casamento construído sobre a Fé, será indestrutível.

"Na verdade, não existe essa tal "estabilidade do casamento". Tudo muda,  mundo muda, e as pessoas que estão dentro de uma relação também mudam durante os anos que passaram juntas, mas nós, às vezes, olhamos a vida das outras pessoas e não notamos as nossas próprias diferenças. Salvar um casamento não é manter uma "relação estável", mas admitir que é necessário aprender e querer mudar junto"

E antes de mais nada, é necessário  aprender fugir da ansiedade.
" Não andeis ansioso de coisa alguma; em tudo porém, sejam conhecidas, diante de Deus, aos  vossos pedidos, pela oração e súplica, com ações de graças. E a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus" Filipenses 4 - 6 e 7

Em resumo:
  • É necessário aceitar a relação com todas as suas fases.
  • Aceitar a mudança de ambos e reconhce-las.
  • Deixar de lado a ansiedade.
  • Investir tempo e cuidado à esta relação.



 ********************************************
Silvia Geruza
Título AMOR ROMANTICO - ISTO EXISTE?: DO MITO A REALIDADE POS-MODERNA


Autor SILVIA GERUZA

Editora FONTE EDITORIAL

ISBN 8563607073, 9788563607072

Num. págs. 96 páginas
Postar um comentário