Google Translate

sábado, 7 de janeiro de 2012

Cuidando de seu Casamento

Casamento Falido?

Pastor Sergio Montanha

Darás honra a tua muher como vaso mais fraco, coabitando com ela com com concentimento (conhecimento ?) (I Pedro 3 – 7).

Muitas vezes nos perdemos em nossos sonhos, afinal, a vida real vai muito além destes, principalmente para a mulher, já que é ela quem mais imagina o casamento perfeito.

O príncipe encantado usa o creme dental de forma diferente, ambos apertam e claro, não do mesmo jeito. Nos primeiros dias até é engraçado, mas aos poucos aquilo parece implicância, e vai se tornando uma espécie de defeito do outro.

Junta-se a isto a toalha molhada que um coloca sobre a cama e as roupas usadas que o outro insiste em espalhar pela casa, ou pior, recoloca no cabide jurando que não está suja, que nem suou.

Todos estes detalhes acabam desgastando a relação, antes memso dos problemas aparecerem de fato.

O que acontece é que todos estes defeitos estavam ali durante o namoro e noivado, mas ambos estavam mais preocupados com outras coisas que deixaram de prestar atenção nisto tudo.

Olha, um maníaco por limpeza e perfeccionista não surge do nada na sua vida, já era antes do casamento, mas se você conseguia manter isto ainda vai conseguir. Casar é também ter que aceitar as diferenças, as pequenas manias e vontadesde ambos, afinal o que é natural em você não é para o outro. Você tem que olhar para sua situação e manias com os olhos do outro e assim você vai descobrir que está exagerando e que pode mudar.

Controle

Não darás lugar ao ciúme em tua mente, procurando ser puro em todas as coisas (Tito 1 – 15).

Ninguém consegue viver o tempo todo sendo controlado pelo outro. Aquela história de manter-se em expectativa quanto ao coportamento do outro vai desandar, vai fazer tudo ferver e cair da panela, porque nada acontece sempre dentro do tempo programado. O ônibus atrasa, o pneu fura, o trânsito congestiona, os trens quebram, a máquina de ponto fica sem sistema e o outro não chega a tempo parao jantar.

Um dos grandes complicadores no relacionamento é sem dúvida a peculiar dúvida que vem junto da pergunta: “Você não chegou no horário”e isto é uma grande falta de consideração para com o outro. A individualidade do cônjuge deve ser respeitada, mesmo sendo uma só carne, afinal temos personalidades diferentes.

Respeite os momentos a sós de seu cônjuge. O outro pode gostar de tomar banho sozinho e calado. Quer conversar? Espere o momento certo. Vai acontecer e você tem que aprender reconhecer os momentos do outro.

Alguns casais brigam e alguns filhos sofrtem, simplesmente porque um dos paistem o hábito horroroso de contar tudo o que aconteceu com a casa e os filhos durante o dia, assim que o outro entra dentro de casa.

Esqueça isto!

Principalmente o homem tem um tempo diferente do da mulher, ele vai precisar de um tempo maior para estar de fato em casa. Espere que ele chegue, faça sua higiene, pense e ande a ermo pela casa para se sentir bem e pronto para conversar. Então, quan do tudo estiver bem, ai sim converse, troque ideias e fale sobre seu dia e descubra sobre o dele.

Quandofazemos coisas que não queremos apenas para agradar o outro, acabamos nos ferindo, pois essa prática, quando constante pode desgastar o relacionamento. Fora que o outro deixa de ser autêntico e passa a viver em função dealgo que não lhe dá prazer, o que acaba trazendo a este a infelicidade.

Tem casais que não consegue falar sobre o que realmente importa, simplesmente porque não admite que podem ter gostos diferentes , mesmo os mais simples, como os relacionado ao conforto de ambos, já que pode sim existir necessidades que os faça viver de forma diferente dentro da mesma casa.

Muitos casais se agridem até, por coisas pequenas como a mulher impedir que o marido pratique seu esporte preferido ou ele impedir que a esposa visite as amigas ou vá passear no shopping ou na casa da família dela.

O que ambos deixam de perceber é que as proibições contribuem para a perda da individualidade e com isto aquela pessoa deixa de ser aquela com quem você casou. O que faz com que ela seja especial são justamente as peculiaridades, as pequenas atitudes que determinam quem ela era antes do casamento.

O ideal é vocês respeitarem um ao outro para não se colocarem em situações constrangedoras.

Na verdade ter vida social individual, onde há a possibilidade de sair com os amigos, conhecer novas pessoas, estudar, trabalhar, é o que faz com que ambos se tornem facinantes a cada dia para manter a relação de forma sadia. Afinal, quando estiverem juntos podem compartilhar experiências diferentes, trocar ideias e não apenas as lamúrias de uma vida sem sentido.

A vida sexual tem fator decisivo na estabilidade do casal, principalmente se na fase do namoro o comportamento era diferente do apresentado após o casamento. Principalmente entre os cristãos, que casam para namorar, já que pelo que é ensinado, sobre portar-se com seriedade e manter a castidade até o matrimônio. Quando casam-se aí surge o fator novidade, onde passam a ter uma vida de intimidade diferente.

Deve-se conversar tudo entre si e fazer o que estiver de acordo, caso contrário, a vida conjugal isso pode esfriar.

Com a chegada dos filhos, a mulher se constrange, muitas vezes acreditando que deve ter uma postura mais séria, e se engorda um pouco inibe-se frente ao parceiro. Na verdade, entre vocês deve sim haver respeito, mas também intimidade e abertura para que possam conversar sobre tudo.

Lembre-se que assim como a esposa engorda, o homem também muda, arredonda, fica careca e barrigudo e há muitas outras mudanças, assim, havendo respeito e cumpricidade, todas as mudanças serão respeitadas e notadas como acréscimo e não como perca.

Na verdade, o homem tende a abandonar o romantismo, abandonado também o jogo da conquista, se descuida da apartência, deixa a barba por fazer, da limpeza do carro para o passeio de fim de semana, como se não precisasse mais conquistar, afinal, acaba vindo o sentimento de posse.

Com o nascimento dos filhos a tendência é a situação se agravar, a mulher se torna mãe e suas atribuições no casamento aumentam, mas a freqüência não é tudo, não podemos perder de vista a qualidade.

Olhando por estas e outras, podemos ver que para tratar seu relacionamento é necessário apenas boa vontade.

Pastor Sergio Montanha
Postar um comentário